Amanda Regina Fernandes

O uso do Whatsapp é permitido para comunicação entre médicos e pacientes?

O uso do aplicativo de troca de mensagens Whatsapp (ou qualquer outro similar) é permitido para “comunicação entre médicos e pacientes, bem como entre médicos e médicos, em caráter privativo, para enviar dados ou tirar dúvidas” (Parecer CFM nº 14/2017).

Contudo, um alerta: o aplicativo não deve ser utilizado para realizar consultas, prescrição de medicamentos ou terapias à distância. Nada substitui as consultas presenciais e aquelas para complementação diagnóstica ou evolutiva.

O médico pode receber mensagens no Whatsapp de pacientes que já recebem assistência para elucidar dúvidas, tratar de aspectos evolutivos e passar orientações de caráter emergencial.

Se relevante, deve orientar o paciente a comparecer ao consultório ou hospital e registrar em prontuário ou ficha clínica, no primeiro momento em que o médico tiver acesso ao mesmo.

Vale reforçar que todo conteúdo da troca de mensagens tem caráter sigiloso e não deve ser divulgado.

Amanda Regina Fernandes
  • Amanda Regina Fernandes Advogada
  • Advogada. Bacharel em Direito pela Universidade São Judas Tadeu - USJT (2012). Especialista em Direito Médico e Hospitalar pela Escola Paulista de Direito (EPD) e em Direito Penal, Processual Penal e...

Comentários

Você precisa estar logado para escrever um comentário.

Fazer login